A receita de Pep e Ferguson para construir um grande time

 

pep1Pep Guardiola deve ter estarrecido sua torcida, que já anda irritada com o treinador do Manchester City por causa dos resultados. Mas dessa vez, a surpresa é pela declaração que deu à TV americana, quando valorizou, neste momento, mais uma sequência de presença na Champions do que um eventual título europeu.

“Não temos a história com essa camisa como um Barcelona, Juventus, Bayern de Munique ou Manchester United, nem os seus títulos. Trata-se de estar nas competições europeias na próxima década, participar da Liga dos Campeões. Acredite: isso é mais importante para este clube do que ganhar um título. Temos de convencer as pessoas nesse clube sensacional que elas são boas. Eles são bons. E os torcedores também. Eles precisam acreditar que eles são bons, que o clube é bom, que os jogadores são bons.”

Para quem discordar, é bom dar uma lida no que Alex Ferguson diz em seu livro “Liderança”. O raciocínio do escocês, que treinou o United por 26 anos, é bem parecido com o do espanhol e hoje dirigindo o lado do rival azul de Manchester.

“O dinheiro não pode criar um clube de peso de uma hora para outra; não traz uma estirpe ou uma história; não enche os estádios de torcedores prontos para aguentar a chuva gelada e não faz os garotos sonharem.”

Ainda nesse sentido, Ferguson diz que “pode-se comprar o sucesso de curto prazo, mas o mesmo não funciona no longo prazo. Isso requer paciência e a construção de uma organização completa”. O arremate desse pensamento é certeiro: “Não consigo me lembrar de um único exemplo no futebol em que abrir o talão de cheques tenha transformado um clube em um vencedor de longo prazo.”

Anúncios