A Inter de Gabigol e dos chinenses

gabigol

Desapareceu aquela barba clareada que festejava a conquista da medalha de ouro. Cabelo escondido no boné preto e ainda com um casaco por cima da cabeça, como costumam fazer os pugilistas quando vão entrar em um ringue. Assim chegou Gabigol em Milão portando ainda um misto de tímida alegria e surpresa com a recepção.

O aeroporto de Malpensa ficou pequeno para tantos torcedores da Internazionale. Todos queriam ver e tocar no artilheiro brasileiro que desembarcava como esperança de tempos melhores de uma equipe passa por transformações. Fora de campo, quem manda agora é o grupo chinês Suning, que comprou 70% do clube italiano pela “bagatela” de 270 milhões de euros. Trata-se de uma empresa de distribuição de eletrônica e eletrodomésticos com potencial financeiro para resgatar o bom futebol da equipe que soma 18 títulos nacionais, três Champions League e se orgulha de nunca ter sido rebaixada.

Gabigol foi comprado por 25 milhões de euros, tendo direito a 7 milhões desse valor. Apesar do esforço do Santos, o atacante já não deve mais voltar ao futebol brasileiro. O técnico holandês Frank de Boer o quer para ontem, bem como ao meio-campo português João Mário, por quem foi desembolsado 45 milhões de euros. A equipe perdeu para o Chievo, fora de casa, logo na estreia do Campeonato italiano no último fim-de-semana, e tem necessidade de se recuperar rapidamente. No domingo, recebe o Palermo.

Quarta colocada na temporada passada, a Inter não conseguiu vaga para a Champions e vai disputar a Liga Europa, competição que já venceu por três vezes. No sorteio de hoje, soube que estreia dia 15 contra o Hapoel, de israel, enfrentando na sequência o Sparta Praga, da República Tcheca, e o Southampton, da Inglaterra. O caminho da retomada parece longo. Pouco restou do último clube italiano capaz de ganhar a Champions, em 2010, sob a batuta de José Mourinho, e que ainda abocanhou o título nacional da temporada. De lá para cá, são seis anos de sofrimento em que tudo o que é bom virou lembrança.

 

 

 

Anúncios