Corinthians quer jogar a Flórida Cup

()  SPO

O Corinthians espera a resposta dos organizadores da Flórida Cup para saber se irá disputar o torneio. Com medo de ações de sindicatos de jogadores, o clube mandou uma opção de calendário aos americanos.

Ao contrário do Flamengo, que desistiu por conta das férias dos jogadores, o Corinthians tenta um acordo. A ideia é alterar a tabela de partidas adiando a estreia corintiana.

Com o atraso em uma semana por causa da tragédia com o avião da Chapecoense, os elencos profissionais só voltarão no dia 11 de janeiro. Pelo calendário dos americanos, o Corinthians teria que chegar lá nesse dia e estrear dia 15.

A oferta enviada hoje prevê a viagem para a Florida apenas no dia 15, com os jogos sendo adiados para 18 e 21 de janeiro. Essa alteração daria chance para a Comissão Técnica fazer todos os exames clínicos entre os dias 11 e 14. A resposta dos organizadores será dada nessa quarta-feira.

Só Roberto quer Oswaldo para 2017

()  SPO

Sabe quando o grandão da rua chega e diz: sou eu contra a rapa? Pois bem, é assim que Roberto de Andrade se comporta no futebol do Corinthians. Presidente, dono de todos os poderes no clube, é ele que segura o técnico Oswaldo de Oliveira no cargo. Ele contra todos (a rapa).

Hoje, o treinador participou do planejamento para o ano que vem como se nada tivesse acontecido no Campeonato Brasileiro. Sem conseguir a vaga na Libertadores, o clube passou o dia em reunião e Oswaldo deu seus pitacos sem restrições.

Dentro do departamento, porém, ninguém banca o técnico em 2017. A pressão é grande pela troca e Roberto precisa do apoio dos conselheiros corintianos para ter paz no comando do clube. Para isso, pode abrir mão do seu técnico preferido pela estabilidade política.

Sobre reforços, negócios em andamento, isso pode ter novidade até sexta-feira. Já dispensas, sabe-se que Oswaldo foi informado que Rildo será devolvido à Ponte Preta. Além disso, Romero sai se receber proposta  e Marquinhos Gabriel vai voltar em janeiro, mas sabendo que não está agradando.

Tudo termina em pizza no Corinthians?

pizza-1

Na noite passada, em uma pizzaria de São Paulo, diversos conselheiros do Corinthians estiveram reunidos. Parecia uma festa de fim-de-ano, uma confraternização natalina. Aparentemente, estavam lá por outra razão: rever um amigo. No caso, um senhor de 96 anos e que deixou a presidência há nove anos. Se você pensou em Alberto Dualib, acertou em cheio.

Nas fotos divulgadas em rede social se pode ver Situação e  Oposição, se é que isso ainda existe no clube. Todos juntinhos, felizes ao redor do ex-dirigente. Antônio Roque Citadini, Paulo Garcia,  André Luiz Oliveira, Andrés Sanchez e o presidente Roberto de Andrade, para citar os mais expressivos.

Para refrescar a memória, Dualib renunciou em 21 de setembro de 2007, quando era investigado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Só deixou o cargo para evitar o impeachment que seria formalizado pelos conselheiros corintianos. Muitos inclusive estavam lá, saboreando um pedaço da redonda, ontem à noite.

Chamou a atenção um vídeo gravado durante o pronunciamento da conselheira Myrian Athiê. “Através do seu Alberto, a gente encontrou aqui Situação, Oposição”, foi lembrada que não estavam os dissidentes, ao que ela fez questão de ressaltar a ressalva. A ex-vereadora seguiu lembrando a todos que muitos dos que estavam à mesa, “chegaram ao clube pelas mãos dele,  galgaram cargos pelas mãos dele. Muitos se tornaram conselheiros vitalícios pelas mãos dele.”

Neste momento, chegou Andrés e André, mas o discurso de Myrian continuou, agora se dirigindo a Roberto de Andrade: “há pouco tempo, estávamos divididos. Éramos vocês e nós e hoje somos todos nós. Eu fui procurada para assinar uma lista pedindo seu impeachment. Eu não vou assinar e não é porque morra de amores por você, mas porque o Corinthians não merece.” E foi aplaudida por vários.

Para fechar a noite, Mirian Athiê disparou que haverá embate em 2018 pela presidência do clube, mas lembrou que não dá para o “Corinthians ficar na mão de pessoas que chegaram agora e se acham no direito de tomar (o clube) na mão grande.” Uma demonstração de apego comovente!

Porque o Corinthians não merece a Libertadores

()  SPO

É claro que o torcedor fica zangado e não vai torcer jamais contra o próprio time, mas acho que ele entenderá o meu raciocínio. A Conmebol deu uma tremenda ajuda aos clubes brasileiros ao aumentar o número de participantes na Libertadores. Os mexicanos deram outra força ao avisar que não querem mais jogar a competição. E tem ainda a chance de o Atlético Mineiro ganhar a Copa do Brasil e abrir uma vaga a mais.

Vejam o tamanho das chances das equipes que estão fora do G4. Para jogar o principal campeonato do continente, basta uma campanha de 50% dos pontos. O Corinthians não tem isso. Não consegue ter. Aliás o que o atual campeão brasileiro tem hoje?

Um elenco pobre tecnicamente, desmanchado ao longo da temporada e de difícil de ser remontado em pouco tempo. SDarronco, esse jogo dá sono. e pensar em projeto 2017, quem você manteria entre os titulares? Walter, Fagner e Uendel, no máximo. Não há zagueiros, nem meio-campo, muito menos ataque. Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Marlone, Camacho, Guilherme, até mesmo Vagner, que vai ser anunciado. Todos são jogadores vagalumes, que acendem em um dia e apagam em outros.

No banco, um técnico que tem demonstrado pouca atualização. Teve tempo para treinar e… nada aconteceu. A cada rodada se vê uma equipe sem imaginação, sem organização tática, sem objetivo. Oswaldo de Oliveira assiste ao jogo sem se mexer, sem tentar uma reação, passivamente. Será ele o técnico para levar o grupo além da fase preliminar na Libertadores? Esse treinador, esse grupo, essa filosofia?

O Corinthians com o elenco atual só não luta para ficar na primeira divisão porque teve um começo com Tite no comando e, com Elias, Felipe e Bruno Henrique, pôde ficar no G4 no primeiro turno. A campanha do returno é de equipe rebaixada e é essa a realidade corintiana. Por tudo isso, e pelo que virá, o torcedor deveria entender que o Corinthians não merece ir para a Libertadores e isso pode fazer bem lá na frente. Vai doer? Mas passa.

Empreiteira fala sobre arena corintiana

imagem_60115_large

Não gosto de desmentir notícia de colegas, especialmente de alguém que tenho um profundo apreço como o Juca. Mas, desde ontem, quando li a matéria da “Folha de São Paulo”, as dúvidas tomaram conta da minha cabeça. Seria um absurdo tremendo se o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos tivesse realizado partidas do futebol em Itaquera se houvesse algum risco no local.

Por maior que seja a lambança que Odebrecht e Corinthians possam estar fazendo ao longo desse relacionamento, não passa pela minha cabeça que alguém coloque em risco a vida de pessoas do mundo todo num evento do tamanho de uma Olimpíada! E olha que eu não compraria um carro usado de nenhum desses dirigentes. Desconfio muito de todos, mas realizar jogos em um estádio sob risco seria demais, acima da minha capacidade de entendimento.

A empreiteira respondeu hoje, com 24 horas de atraso. Mas reproduzo  aqui o trecho que acho que vale a leitura:

“…Quanto às inconsistências do noticiário recente, vale apontar que:

– O referido vazamento de água constatado pela Sabesp ocorreu no início de 2015 e não tem relação com a erosão ocorrida um ano depois no estacionamento.

– O vazamento, de 2015, foi devido a um problema detectado em um registro localizado dentro de uma caixa de passagem, que fez a água escoar por uma tubulação de esgoto, instalada no mesmo local. Ou seja, não houve infiltração no solo.  Em nota, a Sabesp informou em 01/11/2016 que “esteve no local para inspeção e os técnicos constataram que a tubulação da Sabesp está em perfeito estado”.

– A erosão, de 2016, foi ocasionada por chuvas torrenciais e acima de qualquer expectativa na região, tanto assim que a seguradora do estádio foi acionada e ressarciu parte dos danos.

– Também não é verdade que exista um córrego passando por baixo do prédio, sem canalização. Foi executada uma rede de drenagem especifica para esse fim e está em projeto As Built (como construído) que foi entregue ao Fundo Imobiliário ainda no ano de 2015.

– Quanto aos pontuais descolamentos de placas de granito das paredes, estão sendo avaliadas as reais causas de modo a impedir novas ocorrências dessa natureza. A construtora instalou mais de 30 mil metros quadrados desse material em pisos e paredes do estádio, sem o registro de nenhum problema relacionado à má instalação.

– Houve sim, há mais de um ano, queda de parte do forro em área restrita da Arena, e a Construtora tomou todas as medidas necessárias para corrigir o fato e garantir o acesso dos torcedores ao local sem quaisquer riscos.

– Não procede a informação de queda de placas de Techlan das fachadas no gramado ou na arquibancada.

Todos os trabalhos realizados na Arena tem as respectivas ARTs (Anotações de Responsabilidade Técnica), que servem par atestar a responsabilidade do executor. O CREA fazia visitas quinzenais à obra, verificando inclusive as mais de 200 ARTs assinadas por engenheiros ou arquitetos

Por fim, é preciso ainda esclarecer que a CNO garante a qualidade da construção, sendo responsabilidade do Fundo a sua manutenção.”

O “blá blá blá”do sono injustificável

()  SPO

Legal o discurso do Giovanni Augusto, hoje, no Corinthians. Mais ou menos isso: “chegou a hora em que não podemos mais relaxar”. Ok, estamos na rodada 33 e os jogadores só acham que agora é a hora? Parem tudo!!! Aliás, ele no sábado já havia dito no intervalo que achava que a equipe estava desligada. Como pode um grupo profissional entrar dessa forma num momento que vale vaga para a pré-Libertadores?

O fato é que esse elenco corintiano é o pior desde o rebaixamento. Um grupo sem alma, que aceita passivamente qualquer adversário ir até Itaquera e se impor como fez a Chapecoense. O trabalho de Roberto de Andrade esse ano é de quem deixa terra arrasada. Voltem no tempo e vejam que, desde 2008, sempre houve ao menos uma base para o começo da próxima temporada. Em 2009, Ronaldo se juntou ao grupo que subiu e ganhou dois títulos. Ficou a base para o ano seguinte e assim foi até 2014, quando Mano teve que fazer uma renovação ao longo da temporada. Foi embora, mas deixou a equipe entre os 4 primeiros do Brasileiro. O que ficará para 2017 será, na melhor das hipóteses, um time G6.

O Corinthians terá que ser reconstruído no ano que vem. Precisa de dois zagueiros  confiáveis, um jogador que faça proteção e que saiba jogar na frente da defesa. Além de dois meias e um ótimo centroavante. Apostar em Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel, Romero, Yago, Camacho entre outros, é olhar para trás e se contentar com esse futebol chinfrim do segundo semestre. Muito parecido com o discurso dos jogadores a cada coletiva.

Tite não era primeira opção em 2010

tite

O tempo sempre serve para apagar algumas lembranças. Ainda mais quando se preenche esse espaço com conquistas. Muitas. O vitorioso Tite, aquele que virou lenda dentro do Corinthians, que hoje aparece como “o cara” que vai levar a Seleção de volta ao topo, poderia ter tido outra vida caso Carlos Alberto Parreira tivesse concordado em voltar a ser técnico de futebol em 2010.

O campeão do Tetra foi o primeiro nome sondado por Andrés Sanchez logo após a demissão de Adílson Batista no Corinthians, lembram-se? Mas Parreira optou por seguir carreira como coordenador, cansado do dia-a-dia dos treinos em clubes e seleções. Tite estava no futebol árabe e depois de sair do Corinthians em 2005, andou por Atlético Mineiro, com participação na campanha ruim que derrubou para a Segunda Divisão, depois, Palmeiras, e só teve um bom trabalho no Internacional, entre 2008 e 2009. Mas era um nome que ainda trazia desconfiança no pacote.

A mesma que hoje se tem com a chegada de Oswaldo de Oliveira. Com passagens razoáveis, mas interrompidas recentemente, ele ganhou um brinde. Dirigia um time que luta para não cair e seu trabalho agora será em um clube que busca vaga na Libertadores. Uma escolha questionável, sem dúvida. Porém, por mais que a decisão não tenha sido democrática, pois valeu apenas a opinião do presidente do clube, a verdade é que só o tempo poderá dizer se o novo técnico vai ou não melhorar o futebol da equipe.