Pedrinho e Ceballos, realidades e preços distintos. Futuro parecido.

()  SPO

Quanto vale o melhor jogador do Campeonato Europeu Sub21? Exatos 15 milhões de euros. Este é o preço de Dani Ceballos, meio-campo do Betis e que sofre o assédio do Real Madrid, Barcelona e Juventus. O preço da multa contratual é tão baixo que o clube italiano ofereceu cinco milhões a mais para tentar levar vantagem sobre os rivais espanhóis. O atual bicampeão europeu teria igualado a oferta, mas o clube de Messi, Suarez e Neymar parece ter a preferência da jovem promessa andaluz.

Ceballos já encarou duas temporadas e meia entre o time principal e o time B. Jogou com Petros na última temporada. Fez uma excelente campanha no recém-terminado Europeu de sua faixa etária em que a Espanha ficou com o vice-campeonato. A multa tão baixa se contrapõe ao futebol que chama a atenção desde cedo. Isca fácil para os enormes clubes europeus. O Betis tenta minimizar o prejuízo tentando mantê-lo no clube para ganhar mais experiência.

Isso tudo no mesmo dia que surge a notícia de um possível interesse do Barcelona por Pedrinho. O candidato a ídolo do Corinthians estaria na lista de investimentos catalão que gostaria de ter a prioridade na compra da promessa corintiana que tem um ano a menos que os 20 de Ceballos. Mas as coincidências param aí. Jogam em posições diferentes e Pedrinho nunca esteve na seleção brasileira das categorias de base.

A multa do brasileiro é de 50 milhões de euros, mesmo estando em sua primeira temporada no elenco principal, tendo jogado apenas dez vezes. É um jogador criativo, mais ofensivo, de aproximação. O valor de mercado do corintiano, hoje, seria bem mais baixo do que a multa. Ou próximo do valor a ser pago por Ceballos.

Os dois podem fazer parte do Barcelona do futuro. A questão é: o Corinthians vai esperar para valorizar, o que só vai acontecer se Pedrinho – como o Palmeiras fez com Gabriel Jesus – começar a atuar com mais frequência e fizer valer algo próximo da estipulado em contrato. Ou acertar um preço agora, pré-fixado, independentemente do que vier acontecer com o jogador. Façam suas apostas. Ceballos está muito barato. E qual seria o valor do corintiano?

O cerco contra a corrupção no futebol

VILANOVA DEJA DE SER ENTRENADOR DEL BARCELONA PARA TRATARSE DE SU ENFERMEDADDigamos que são alvissareiras as notícias vindas da Espanha. A prisão do ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, e mais quatro pessoas na cidade catalã, nos dá esperança de que a Justiça poderá ser feita no mundo do futebol. Não quero aqui condenar o ex-dirigente, mas ressaltar que existe gente de olho no dinheiro que circula dentro e ao redor do esporte mais popular do planeta. Para o bem e para o mal.

Rosell foi detido por suspeitas de lavagem de dinheiro. Segundo o “El País”, da Espanha, se investiga uma suposta organização criminosa que teria cobrado comissões ilegais sobre os direitos de imagem de TV da Seleção Brasileira e depois regularizavam os lucros através de paraísos fiscais como Andorra. O ex-dirigente também foi presidente da Nike e teria sido nessa época que manteve um contrato com a CBF durante a gestão de Ricardo Teixeira.

Tudo isso foi revelado, em 2013, pelo jornal “O Estado de São Paulo”. Com base nessa história, começaram as investigações que culminaram nas prisões. Hoje, policiais fizeram buscas e apreensões em vários lugares de Barcelona, Lleyda, Girona e Andorra. Sandro Rosell também é investigado nos Estados Unidos pelo FBI com suspeita de desvio de milhões para contas secretas de Teixeira.

A matéria completa você lê aqui nesse link:

http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,policia-espanhola-prende-ex-presidente-do-barcelona-sandro-rosell-por-contratos-com-a-cbf,70001807248

http://brasil.elpais.com/brasil/2017/05/23/internacional/1495521178_853700.html

No mesmo dia, ficamos sabendo da prisão de dois ex-governadores do Distrito Federal e um assessor do presidente Michel Temer por conta de superfaturamento na reforma do estádio Mané Garrincha, o mais caro da Copa no Brasil. Teria sido algo em torno de R$ 900 milhões a mais em propinas. Existem suspeitas sobre outros estádios do Mundial do 7 a 1, o que só faz aumentar a nossa vergonha, mas que deve nos fazer cobrar uma averiguação a todo instante por parte das autoridades e dirigentes de clubes.

O Corinthians está com a auditoria terminada. É essencial que venha à tona tudo o que se passou nas negociações do ex-presidente Andrés Sanches e a Odebrecht. Que se esclareça o pagamento de R$ 500 mil a alguém de codinome “Timão”, que aparece na planilha de propina da empreiteira. Quais providências o clube sobre isso? Destacou algueem para acompanhar as investigações? Diante de tantos escândalos cabe a pergunta: será que Itaquera custou mesmo mais de 1 bilhão como dizem? Nem me refiro ao que ficou faltando ser completado como o acabamento do piso dos setores norte e sul, admitido pela administração do estádio ao UOL no fim-de-semana.

Num dia em que ficamos sabendo que Ricardo Teixeira pode ser preso através de um pedido da polícia espanhola, que tal sonharmos que, finalmente, o Ministerio Público descobriu que o futebol dá muito lucro e que tem muita gente ganhando com isso de forma desonesta. Imaginem amigos, se isso aconteceu na Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos e terminou com a prisão de quatro dirigentes, quanto mais não será num mundo ainda mais milionário como o Planeta Bola? A Fifa que o diga.

 

O melhor lateral do mundo! De novo.

daniel

Já são 34 anos de uma vida repleta de títulos, desde os tempos do Bahia, com passagem pelo Sevilha e Barcelona. Quando a carreira parecia se encaminhar para o fim, eis que Daniel Alves conseguiu reaparecer em grande nível!  A Juventus deu a ele a chance de voltar a brilhar e ser, sem nenhuma dúvida, o melhor do mundo por mais uma temporada.

O gol dessa tarde, aliás, o belo gol na vitória italiana que assegurou vaga na final da Champions (2 a 1 contra o Mônaco) só jogou mais luz diante de uma temporada que pode transformá-lo em ainda mais vencedor. Dani, como é chamado, mudou de clube e país cercado de desconfiança. Trocou o Barça, perdeu a companhia estelar, e chegou em Turim com sérias desconfianças sobre o futuro.

Ganhar a vaga de Lichtsteiner não foi a missão das mais difíceis dada a diferença técnica. Mas o brasileiro foi além. Como se tivesse sido desafiado a mostrar que ainda tinha bola para jogar, tornou-se peça muito importante na Juve, com as costumeiras assistências no ataque e uma consistência defensiva que pode ser dada como herança de sua passagem pelo tático futebol italiano.

Pode ser campeão na próxima rodada do Italiano, está na final da Copa da Itália e vai para Cardiff decidir a Champions. Se tudo der certo, chegará a 35 títulos. Certamente estará pela sétima vez na seleção da Fifa. E por fim, ganhou a Seleção Brasileira que passou a ter um lateral mais completo e dono da posição indiscutível. Seja em verde-e-amarelo ou em preto-e-branco.

A dívida que Guardiola tem com Iniesta

dupla

O “Guardian“, essa semana, trouxe um trecho do próximo livro de Pep Guardiola. Trata-se de como Andrés Iniesta ganhou ainda mais a admiração do ex-técnico do Barcelona. O, hoje, treinador do Manchester City reconhece  publicamente que o meia o auxiliou muito no começo de trabalho no clube catalão. E não estamos falando apenas da bola que ele sempre jogou.

A vida botou os dois se cruzando algumas vezes, muito antes de 2008. A primeira foi através de Pere, irmão de Guardiola, que o alertou para um garoto que estava disputando a Copa Nike pelo clube. “Eu ainda era jogador do Barcelona, me troquei e corri para ver o tal garoto. E vi como ele era bom! Disse pra mim mesmo que ele ia jogar pelo Barcelona, com certeza, e disse também ao Pere.”

Ao sair do clube, Guardiola encontrou-se com o jornalista Santiago Segurola e disse que ele tinha que ver aquele que acabara de ser eleito o melhor jogador da decisão da Copa Nike. “Fui até ele e disse que tinha visto algo incrível. Tinha um sentimento de que, o que havia testemunhado, era único. Essa  foi minha primeira impressão sobre Andrés.”

Mal poderia imaginar que anos depois, seria a vez de Iniesta apostar em Guardiola. O treinador conta que isso aconteceu logo depois de assumir o cargo no Barcelona vindo do time B. A torcida, através de uma pesquisa, queria Jose Mourinho e o trabalho começou com dois tropeços: derrota para o Numancia, fora de casa, e empate, no Camp Nou, contra o Racing Santander. Só Johan Cruyff o defendia nos jornais.

Num certo dia, Guardiola revia tudo o que tinha feito, revisava cada treino, repassava cada decisão no seu escritório, quando alguém bateu na porta, abrindo-a e pedindo para entrar. Era Iniesta, que ao receber o sinal positivo, saiu disparando: “Não se preocupe, professor. Nós vamos ganhar. Estamos no caminho certo. Siga do jeito que está, ok? Estamos jogando brilhantemente, estamos adorando os treinos. Por favor, não mude nada. Vamos passar por cima de todos eles” Dito isso, o jogador saiu.

Guardiola não esperava por aquela atitude, ainda mais vindo de alguém que não costuma se pronunciar muito. O fato é que naquela temporada, o clube catalão disputaria seis títulos. Ganharia todos. “Normalmente, as pessoas acham que o técnico é que tem que levantar o moral dos jogadores. Mas não foi assim comigo nesse caso e também no meu primeiro ano de Bayern de Munique”, revelou. “As pessoas acham que o técnico é a pessoa mais forte, o chefe do clube, mas na verdade, é a mais fraca.”

Taticamente, Iniesta também ajudou no crescimento do treinador. Ele deu o seguinte palpite: por que não atacar o zagueiro quando estiver com a bola? “Ele me fez ver como era importante isso e ninguém fazia. Mas quando o zagueiro (é atacado e) sai pra defender, abre espaço e desorganiza a defesa.”  Eles organizaram de modo que Messi e Iniesta atacassem os centrais, tornando um dos pontos fortes da movimentação do Barcelona.  “Andrés tem aquela habilidade única para driblar, infiltrar. Ele também abriu meus olhos para a importância de se ter meias e atacantes por dentro que saibam driblar . Se ele dribla, ele carrega e tudo flui, Com o tempo, eu vi isso.” O livro de Guardiola ainda não tem data para ser lançado no Brasil.